terça-feira, 24 de abril de 2012

Chuva de maquetes II

É a continuação, não teve jeito, ó só:














Ufa! acabou por hora!!!

Chuva de Maquetes

A galera do 8º ano da Escola Rogelma me deixou completamente louco, foi tanto trabalho bom que eu pirei. Eles não economizaram na criatividade e salvaram os pontinhos do bimestre. Quem não trouxe tem até a próxima segunda para entregar. Agora, dá só uma olhadinha no naipe da galera:


































Sua conexão vai travar com tanta foto!!!

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Música e teatro no Varella

Com o novo currículo mínimo implementado para a disciplina de Artes nesse ano de 2012, nós professores de Artes, estamos levando uma surra, temos que pesquisar outras áreas do universo das Artes, como a Dança, Música e o Teatro.


Que tal pintar o desenho que representa a arte do Teatro? Vamos lá!

-------------------------------------------------------------------


Minha formação na UFRJ foi em Artes Visuais, cursei Pintura com Lídio Bandeira de Mello entre outros mestres (autor do painel da Caixa Econômica Federal na agência da Carioca) e Gravura com o que há de melhor em matéria de professores, Kazuo Iha e Aldir Botelho (pupilo de Goeldi, o maior gravador brasileiro). No entanto, nas outras áreas sinto ainda dificuldades, estou correndo atrás de formação complementar para não deixar furo com o meu ouro, os meus alunos.

Aqui eu  coloco algumas imagens do mestre Kazuo Iha, "o cara" da Litografia no Brasil.


 Kazuo em uma das suas muitas exposições pelo Brasil e exterior onde é muito conhecido.


Entende agora o nível dos trabalhos do Mestre Kazuo? Não são mera cópias, existe um trabalho de composição perfeito, além do desenho apresentar a sua marca, o trabalho com as diferentes maneiras de pintar e o trato com as cores, aqui nessa breve mostra ele mostra todo o seu talento, talento reconhecido na América Latina.

-----------------------------------------------------------

Voltando ao problemas do currículo mínimo, nós estamos fazendo o que podemos para cumpri-lo, pequenos esquetes para o Teatro além da parte teórica e um trabalho bem básico com a música. Por hora  eu vou mostrar as imagens feitas pelo 6º ano do Varella que ilustraram o texto introdutório do Teatro:



A origem do teatro refere-se às primeiras sociedades primitivas que acreditavam nas danças imitativas (mímesis - mímica) como favoráveis aos poderes sobrenaturais para o controle dos fatos indispensáveis para a sobrevivência, como a caça e a reprodução ou acasalamento. Em seu desenvolvimento, o teatro passa a representar lendas referentes aos deuses e heróis (mitos).

O teatro como conhecemos hoje, apareceu na Grécia Antiga, no séc. IV a.C., em decorrência dos festivais anuais em consagração a Dionísio, o deus do vinho e da alegria. A palavra teatro significa uma determinada arte, bem como o local físico em que tal arte se apresenta. A implantação do teatro no Brasil ocorreu em razão do empenho dos jesuítas em catequizar os índios. No Brasil, um dos precursores do texto teatral, ou dramaturgia, foi o Padre Anchieta.

Aristóteles também tem uma clássica definição de dramaturgia. Segundo o filósofo da Grécia Antiga, esta arte estrutura os atos humanos logicamente, visando despertar intensas paixões ou uma condição de extremo encantamento e êxtase.


Os desenhos:









Parabéns 601 e 602.

-----------------------------------------------------------



E essas? Que tal imprimir e pintar com o lápis de cor. Depois manda pra eu dar uma olhada e colocar no BLOG. Envie a pintura para eddyeazevedo@hotmail.com

------------------------------------

domingo, 22 de abril de 2012

O limite da visão - sua finitude

Todos os sentidos possuem limites, são finitos. Com a nossa visão não é diferente. Ela só pode ver, sem auxílio de instrumentos específicos, o espectro visível, que corresponde a faixa de "onda" que se situa entre o infravermelho e o ultravioleta.




Não enxergamos o ultravioleta e nem o infravermelho, também não podemos ver os raio-x sem os aparelhos apropriados. Uma outra característica da nossa visão é que ela é falha, por diversos motivos. Quando percebemos a cor, podemos estar vendo uma cor induzida ou inexistente.




O trabalho acima, "Vermelho em mutações cromáticas", é um simples exemplo da falibilidade da nossa visão. É uma serigrafia (uma das muitas técnicas de impressão existentes) com apenas três cores, o degradê é induzido pela fusão óptica. Como podemos ver, a nossa visão pode ser levada a ver até o que não existe, duvida? então tá, vamos ao próximo exemplo:




Quantos azuis, vermelhos e amarelos-ocre você pensa estar vendo? Só há um azul e um vermelho, assim como só há um tom de amarelo-ocre. A ilusão é criada pelas listras amarelas e pretas, invertidas nas zonas opostas.

Ainda não se rendeu? Rsssss. É, você pensava que sabia tudo sobre cor, sobre visão, mas o assunto é sério, e tem gente que pesquisou o tema "Cor" durante toda a sua vida, como é o caso de Israel Pedroza, o autor das serigrafias acima.

Bom, agora iremos pintar a bandeira do Brasil dentro do seu olho. Há! não acredita? Então veja a imagem abaixo por pelo menos um minuto, não tire do seu campo de visão até que o fundo do seu olho tenha retido e, por equilíbrio, desaturado, produzindo a cor inversa. Depois de olhar durante um minuto, olhe imediatamente para uma folha branca, desse modo verá a bandeira com as cores exatas.




Olhe durante 30 segundos para o pontinho preto da imagem acima, depois olhe para uma folha branca e verá a bandeira do brasil com as suas cores corretas. Então gente, tirando a poesia da questão, a nossa visão é finita e passível de falhar.


Quem quiser saber mais sobre o assunto procure pesquisar e ler, ler bastante. Eu recomento os livros do mestre Israel Pedroza, que estão nas imagens abaixo. Queridos alunos, o conhecimento não surge do nada, é necessário que haja um esforço individual para tanto. É preciso ler, estudar e nos informar com os outros, pois, somente com esses hábitos iremos adquirir o conhecimento.







Para os meus alunos, queridos alunos interessados em saber mais, eu baixei um livro na internet, ele é bom e tem uma leitura fácil além de muitas imagens.

Para Baixar é só clicar aqui.

sábado, 21 de abril de 2012

As maquetes da turma do 8º ano

A galerinha do 8º ano continua mandando bem, alguns alunos comparecem às atividades mais complexas, e sem medo, detonam nos trabalhos das aulas de arte.  A nossa colega Ana Caroline Gomes Valente Gonçalves mostrou o seu talento, entregou uma maquete maravilhosa, eu cheguei a ver o Rio de Janeiro ali, o Pão de Açúcar. O trabalho foi feito com simplicidade, mas com muito bom gosto, eu adoro trabalhos assim. Dá só uma olhada:





----------------------------------------------------------------------------
Show!!!